Parlamentar sugere campanha de conscientização sobre conduta correta da população diante da pandemia

Luciano Milano

terça, 05 de maio de 2020 às 19h35

Dicom/CMM

Vereador quer ainda que Estado e Prefeitura comprem insumos de empresas locais

Com uma movimentação cada vez maior nas ruas das cidades alagoanas, o que tem gerado aglomeração de pessoas, situação que pode estar se refletindo no crescimento acelerado do número de casos de infectados pelo Coronavírus, o vereador Chico Filho (MDB) cobrou do governo do Estado e da Prefeitura de Maceió, a realização de uma campanha de conscientização, através do rádio, televisão e internet. O descumprimento do decreto governamental de isolamento social foi tema abordado pelo parlamentar durante sessão ordinária desta terça-feira (05).

“Mais do que fiscalizar o cumprimento do decreto, é preciso conscientizar a população sobre o que, de fato, precisa fazer na necessidade de ter que sair de casa, se proteger e evitar o contágio da covid-19. As pessoas escutam falar muito que o vírus mata, que os hospitais estão ficando com seus leitos de internação em UTI, por exemplo, em lotação máxima, mas creio que o Poder Público precisa intensificar a comunicação para explicar qual o comportamento seguro para contribuir com a saúde pública e individual, como usar máscaras na rua, evitar aglomerações, respeitar a distância mínima de 1,5 metro em filas, entre outras medidas de extrema importância. Vejo como essencial lançar mão desse mecanismo”, destacou Chico Filho.

Ele deve protocolar nesta quarta-feira, iniciativa para que Estado e Prefeitura promovam a campanha.

INSUMOS – Chico Filho também abordou as dificuldades enfrentadas pelo setor produtivo de Alagoas. Para o vereador, governo do Estado e a Prefeitura de Maceió precisam dar prioridade às compras de insumos a empresas locais. Requerimento neste sentido foi protocolado nesta terça. Endereçado aos Executivos estadual e municipal para que ambos contribuam no sentido de diminuir os prejuízos causados pela pandemia de covid-19 que assola o mundo.

Dados apontam para o desaquecimento econômico e queda de 90% do faturamento no varejo e atacado, assim como 35% de perda dos postos de trabalho no Estado. De acordo com o segmento, quem ainda sobrevive à crise é o setor de gêneros alimentícios.

O requerimento deve entrar na pauta de votação da Casa de Mário Guimarães na sessão ordinária virtual desta quarta-feira (6).

“É preciso fazer com que a economia local seja movimentada, e isso precisa começar de cima. Há reformas de Unidades Básicas de Saúde e estruturação de hospitais de campanha onde surge necessidade de diversos itens que podem ser comprados de nossas empresas”, ressaltou Chico Filho.

Mais Imagens:

Últimas Notícias