Capoeiristas lotam Câmara de Maceió para reivindicações e homenagens

Luciano Milano

segunda, 12 de agosto de 2019 às 10h00

Dicom/CMM

Audiência Pública e Sessão Solene foram iniciativas do vereador Siderlane Mendonça

Integrar a capoeira às redes municipal e estadual de educação e cultura, construção de redomas nas praças públicas da capital e demais cidades alagoanas, além de criação do Campeonato Alagoano do esporte. Essas foram algumas das muitas reivindicações feitas por mestres de capoeira que participaram da audiência pública "Salvaguarda da Capoeira do Estado de Alagoas", que aconteceu esta sexta-feira (9), no plenário Vereador Silvânio Barbosa, na Câmara Municipal de Maceió.
 

Além da audiência, a Casa fez uma sessão solene que homenageou Fernando Antônio Menezes Tavares, o Mestre Ventania, com a comenda Zumbi dos Palmares, pelos relevantes serviços prestados por ele na área da cultura afro-brasileira.
 

No encontro, os capoeiristas também celebraram o último 3 de agosto, dedicado ao Dia Municipal e Estadual da Capoeira e do Capoeirista. Tanto a audiência como a sessão solene foram iniciativas do vereador Siderlane Mendonça (PEN), e aprovada pelos demais parlamentares.
 

“Temos aqui representantes da Secretaria Estadual de Cultura, da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), Instituto do Patrimônio Histórico, Artístico e Nacional (IPHAN) que nos trazem iniciativas em prol da capoeira. Infelizmente, uma modalidade esportiva que ainda sofre preconceito, mas ocupa enorme espaço social, salvando muito jovem de caminhos não aconselháveis”, declarou o Mestre Girafa, do grupo Muzenza.
 

Técnica do IPHAN, Greciene Lopes, utilizou a tribuna do Plenário Vereador Silvânio Barbosa para anunciar que no próximo dia o órgão inicia um mapeamento para que as autoridades conheçam, de fato, a capoeira em Alagoas.
 

“Capoeira é um esporte praticados em mais de 150 países. Por isso, é muito importante que façamos a salvaguarda que consiste, entre outras coisas, garantia de sua visibilidade como patrimônio cultural imaterial, identificação e prevenção. O IPHAN entra nesse processo a partir da semana que vem, porque sabe que é necessário manter a cultura viva na terra de Zumbi dos Palmares, sobretudo a capoeira. Também é digno de registro o trabalho social desenvolvido pela capoeira com os jovens, assim como no esporte e na cultura”, afirmou.
 

Para o vereador Siderlane Mendonça, a audiência foi enriquecedora, uma vez que a Casa de Mário Guimarães encampa o debate para a consolidação do esporte, agora como ponte entre os adeptos da roda de capoeira e o Poder Público municipal.
 

“Além da homenagem que prestamos, mais que justa, ao Mestre Ventania, uma das referências da capoeira no Brasil, também ouvimos demandas importantes e possíveis de serem postas em prática, com leis produzidas por esta Casa. Dessa forma, acredito que a audiência pública e a sessão solene foram muito produtivas”, declarou Mendonça.

Homenageado, Mestre Ventania filosofou a respeito da relação de mais de 30 anos com a capoeira.
 

“Quando me perguntam, por que eu cheguei até a capoeira, eu me indago por qual motivo ela chegou até a mim? Porque, sem sombra de dúvida, qualquer coisa que eu tenha feito pela capoeira, é muito pouco diante de tudo que ela fez e tem feito por mim, e eu não mereço nada disso. Agradeço a todos vocês capoeiristas e alunos e esta Casa pela homenagem”, ponderou Ventania.

Mais Imagens:

Últimas Notícias