Audiência Pública homenageia profissionais da saúde que atuaram na linha de frente contra a Covid-19

segunda, 27 de setembro de 2021 às 16h49

Proposição foi feita pelo vereador Marcelo Palmeira (PSC) diante da atuação dedicada dos profissionais

A repercussão positiva do trabalho dos profissionais de saúde em Maceió durante o período de pandemia motivou uma Audiência Pública para homenageá-los na tarde desta segunda-feira (27). A proposição foi do vereador Marcelo Palmeira (PSC), que juntamente com lideranças da categoria articularam o evento. Na oportunidade 67 trabalhadores que estiveram na linha de frente do combate ao Covid-19 foram homenageados com uma medalha e moção de congratulação. 

"A ideia desse evento surgiu após uma conversa com um dos integrantes do Movimento Ativistas da Saúde (MAS), Isaac Lima. Todos nós sabemos que esse período que passamos foi muito difícil. Vocês atuaram com profissionalismo e dedicação. Sei dos riscos porque eu mesmo tive a doença e  fiquei onze dias internado no Hospital do Coração", revelou Marcelo ao discursar aos homenageados.

O coordenador do MAS, Isaac Lima, agradeceu a homenagem aos profissionais e relembrou do quanto a categoria precisa de apoio para garantir o reconhecimento profissional necessário, já que são muitas as pendências como a falta de um Plano de Cargos e Carreiras. "Sofremos muito durante o avanço da doença, num período em que sobravam dúvidas de como deveríamos agir e mesmo assim estávamos presentes no dia a dia para conseguir atender aos pacientes. A exposição dos trabalhadores acabou contaminando alguns e, mesmo vacinados, outros estão voltando a adoecer", disse Isaac.

Ele também cobrou o reconhecimento da categoria PL 2564 que é discutida há três décadas para regulamentar a atividade da enfermagem. Segundo revelou o movimento existe para conscientizar os trabalhadores da saúde, pois ficou comprovado a importância de todos no processo mais crítico do combate à Covid-19. "Estamos há muitos anos sem um Plano de Cargos e Carreiras, mesmo tendo profissionais qualificados em todas as áreas da saúde. Precisamos de apoio de todos, incluindo os desta casa", descreveu Isaac. 

Convidada a falar sobre sua atuação a psicóloga, Diana Dine,  enfatizou o impacto da saúde mental dos profissionais. Diana lembrou detalhes do desafio da categoria em enfrentar o desconhecido, no caso o vírus, mas mesmo assim com coragem. "Muitos tinham dúvidas e a principal era a possibilidade de contaminar filhos e país idosos, o que acabou gerando além de dúvidas, ansiedade. Foi com situações assim que nos deparamos ao conviver com todos esses profissionais. Foi um trabalho grande para tentar tirar todas essas dúvidas associadas ao medo, além do estresse diário e, agora, temos pela frente o pós-traumático", descreveu Diana.

Com a experiência de quem conhece a categoria e suas dificuldades, Leidjane Ferreira de Melo, membro do Conselho Regional de Enfermagem (Coren-AL) confirmou que os maiores problemas continuam sendo a falta de condições de trabalho, melhores salários e a falta de responsabilidade com a atividade na área de saúde. 

"Nós percebemos que a enfermagem foi atingida de frente por essa luta pela vida, mas sabemos também da desvalorização desse profissional na ponta do atendimento, onde falta até EPIs. A enfermagem está presente na porta de entrada que são as unidades de saúde básica. Nós podemos ter projeto de lei para o piso salarial em nível municipal, não precisa esperar a decisão de Lei Federal", sugeriu Leidjane.

Enfermeira e vereadora pela cidade de Marimbondo, Vanda Florentino (PTB), lembrou a importância da enfermagem e da responsabilidade dos profissionais que saem de casa para "doar amor e aprendizado" e acrescentou que "muitos se afastavam, olhavam para o paciente com receio, mas a enfermagem não desistiu da luta. Muitos saindo de plantões de 24 horas para outro porque não temos um piso salarial digno", disse Vanda.

Mais Imagens:

Últimas Notícias